Respostas de Oração

Respostas de Oração

Eliel Batista

O tema oração acaba se tornando recorrente em meus textos, talvez porque eu considere uma expressão do relacionamento com Deus?

Gostaria de pensar sobre a lógica religiosa evangélica da oração. Apenas isto.
Um crente ora e absolutamente nada acontece.
Quais as respostas encontradas no meio evangélico?

1- Deus sabe o melhor. Algumas pessoas, Deus não abençoa porque ela não sabe usar a benção, ou isto poderá ser para ela uma pedra de tropeço.

2- A pessoa não está preparada. Para ser abençoada a pessoa precisa ter condições de administrar a benção. Se ela for relapsa Deus não concederá a benção.

3- Vida torta. Uma pessoa com a vida toda bagunçada Deus não pode responder.

4- Falta de querer. A pessoa quer, mas quer de qualquer jeito, não como alguém que de fato deseja.

5- Falta de fé. A pessoa não crê de todo o coração, por isso não recebe, pois Deus não atende quem não tem fé e sem ela é impossível agradar a Deus.

6- Prova. Deus quer provar a pessoa e por isso não dá.

Mas por outro lado, existem algumas pessoas que pedem e acabam se dando mal.
Como então explicar?

1- Deus não queria dar, mas a pessoa teve fé, vida reta e insistiu, então, como uma espécie de atendimento à teimosia, Deus cedeu e assim, a pessoa deve arcar com as consequências.

2- Não foi Deus que deu, foi o diabo, porque ele é enganador e pegou a oração do crente e se apressou em responder para fazer um laço para a pessoa.

Mas e quanto àqueles que têm vida “torta”, pouca fé e é abençoado?

1- Estes servem ao diabo que lhe atende os desejos para mantê-lo preso no pecado. Como o diabo não pode fazer sozinho, Deus é quem permitiu porque assim pode pegar o indivíduo no seu pecado.

2- Tem vida torta, pouca fé, mas é dizimista e como Deus é fiel, tem que abençoa-lo.

Existem mais respostas, mas aqui estão as mais comuns. Nem quero sugerir que se pense em como seria Deus dentro desta lógica: manipulável, sem vontade, pouco bom para não dizer mal?
Pergunto-me se esta descarada contradição não é sustentada pela conveniência: Tudo para justificar uma posição de que vale a pena crer.
Para que Deus, de fato, assuma este papel, ele precisa ser infiel, incoerente e caprichoso.

Talvez alguém esteja pensando: Se as respostas são incoerentes e contraditórias, elas apesar de se colocarem como explicações, não servem como uma explicação. Então surge a pergunta: Porque às vezes dá certo e outras não. Para algumas sim e para outras não?

A resposta para a pergunta só é possível se houver uma mudança de concepção.
A relação de Deus conosco deve ser diferente daquilo que se entende. As orações devem pertencer a outra categoria, diferente da usual.

Uma resposta coerente, só é possível através do abandono da lógica aplicada na oração: “funcionar” ou dar certo no sentido de conseguir que Deus realize nossos desejos.

Vejamos algumas concepções que precisam de avaliação:

1- Oração que conserte o passado.
A oração não deve ser um instrumento para que Deus conserte o que se passou. Imagina que Deus de alguma maneira poderosa, intervenha arrumando os fatos que causaram dor. O passado é irretocável. Deus não vai de maneira alguma fazer com que um evento seja apagado, mudado ou destruído da história. Aconteceu; é fato.

2- Oração que conserte o futuro.
Da mesma forma, a oração não serve para Deus consertar o que ainda não aconteceu, ou ainda, ajeitar o futuro para que se tenha melhor sorte do que hoje. Como se fosse uma compensação ou remendo das coisas ruins que aconteceram. O futuro é inalcançável.

Dentro disto, resta-nos uma oração que contemple o presente.
Vale lembrar que o presente é vivenciado numa estreita relação com o passado. Quem esteja experimentando uma dor hoje, saboreia o fruto do passado. Se o passado não será consertado, resta então reconhecer que o único presente que existe é exatamente este: que experimenta a dor.

Dito isto, devemos reconhecer que a oração ajuda a participarmos da ação de Deus que agindo em todas as coisas, faz com que cada evento, situação e experiência sejam matéria-prima para a construção de outro futuro, que antes do sofrimento não se havia pensado.
Exemplo:
Uma mulher traída e abandonada pelo seu marido. Esta mácula não pode ser mudada.
Apesar do sofrimento, trata-se do fruto do acontecido. Ela havia planejado sua vida a dois, junto de seu marido, mas agora ele não mais está. A oração não consertará o ocorrido, mas poderá alinhar seus pensamentos ao projeto de Deus que agirá nisto transformando em matéria-prima, para que o futuro não esteja eternamente prejudicado, inválido e impossível de ser vivido. Agora, ela deverá aprender a como construir outro futuro, não imaginado nem querido: sem o seu marido. A oração ajuda a beber o cálice e alinhar-se com a vontade de Deus que é boa e agradável, neste caso, a vontade de Deus é que ela se restabeleça, crie outras formas de conduzir sua vida e faça de seu futuro uma bela história.

Mudando a compreensão sobre oração, as perguntas propostas anteriormente não cabem, pois a questão não se resume em saber por que alguns conseguiram e outros não e, aleatoriamente se deram bem ou mal.
Se sabemos que Deus não é o mecânico do mundo, mas sim, que Ele se concentra em outro fator que é o de agir no presente para nos transformar e assim vivermos, nos colocaremos à sua disposição e não exigiremos que Ele esteja à nossa disposição e nem procuraremos justificar os acontecimentos mundanos como fruto de orações.
Deus transforma, não conserta.

Eliel Batista

3 comentários

  • Dirceu Panini disse:

    Deus transforma vidas e pode também consertar uma família destruída sim. O poder de uma oração não pode ser ignorado. veja jonas no capítulo 2… Jonas orou a Deus num lugar improvável, no ventre de um peixe, e Deus ouviu sua oração.

    Talvez o segredo é termos uma intimidade com Deus, andar com Deus por amor a Ele, e não com interesses.

    Deus abençoe!

  • edivania pedrosa disse:

    MUITO BOM ! FICO FELIZ EM SABER QUE EXISTEM PESSOAS COMO VC ,QUE ESTÁ DANDO ESSA GRANDE CONTRIBUIÇÃO PARA NOS QUE TANTO PRECISAMOS SER ORIETADOS E A ORAÇÃO É DOS PONTOS ONDE PERCEBO A MAIOR FRUSTAÇAO NO MEIO DO POVO QUE SE DIZ SER DE DEUS.

    VALEU!

  • claudia Silva (Cearense tb) disse:

    Materia maravilhosa, pois me faz refleti a respeito de tudo que ao contrario disto ouvia e entendia.
    bjssss
    e uma das razões que posso dizer que esta é a minha igreja.

Deixe seu comentário